Nascido sob o signo do macho

Tema bem espinhoso. É difícil escrever sobre algo que entendo tão pouco, embora hoje, por ter um filho homem, me seja do maior interessante. O universo masculino me é totalmente incompreensível (e assim deve ser), distante e ameaçador (aí, já acho que poderia ser bem, bem, bem menos…).
Por um lado, escuto mulheres reclamando dos homens: que são infantis, que se comportam como filhos, que são insensíveis para as questões femininas, são pouco cavalheiros, nada heróicos, que colaboram pouco com a rotina doméstica e com a criação dos filhos, e por aí vai… Do outro lado, penso eu, não devem também faltar reclamações, mas, como disse acima, tenho pouca intimidade com esse universo e não saberia discriminá-las.
De qualquer maneira, longe de focar a questão do relacionamento amoroso sob o ponto de vista das reclamações, o que me intriga é perceber que esse mesmo homem, do qual ELAS falam tão mal, é criado e educado por ELAS. Ou seja, está clara a necessidade de uma profunda reflexão sobre o papel da mãe na vida do homem, e mais, do ser humano. Não há coerência entre o que se quer, o que se pensa, o que sente e o que se faz.
É claro que sabemos a importância do modelo masculino para os meninos, principalmente a partir dos 5 anos. Porém, a convivência com a mãe, principalmente até esse patamar de idade, é quase que integral e totalmente dependente. Me parece que muito desse tempo com essa mulher, a mãe, determina uma grande parte dessa formação e de como o feminino será encarado no futuro.
Com a menina, a filha, sinto que é igual, mas de forma diferente. Embora, como com o menino, sua experiência com o masculino, o pai, seja extremamente importante na maneira como ela verá e se relacionará com ELE, avalio que ainda será muito mais determinante a mensagem que a mãe passará sobre a sua visão (nada consciente) e a sua relação na prática com esse masculino.
Posto isto, entro um pouco mais: o filho nasce carregando a projeção de perfeição gerada pelos pais. Carga pesada, que fica mais pesada ainda quando incorpora a projeção do que seria o masculino perfeito para a mãe, geralmente o que não é encontrado junto ao companheiro ou homens com os quais a mãe se relacionou e se relaciona.
Muitas vezes ouço mães chamando seus filhos de “meu príncipe”, “meu rei”, “meu homenzinho”, “o homenzinho da casa”, “que vai cuidar da mamãe quando crescer”. Expressões que chegam a me arrepiar porque carregam tintas fortes demais.
Para complicar tudo isso, tudo isso se passa em um mundo paralelo, o da inconsciência, ou seja, não sabemos “conscientemente” qual o nosso real sentido, visão e relação com o sexo oposto, nem quais os desejos “submersos”, cuja energia é similar à de uma bomba nuclear, dirigidos aos nossos filhos (sejam eles homens ou mulheres).
Bom, daí pra frente começa a sair “fumacinha” da minha cabeça porque a questão é complexa. Como já escrevi aqui, não tenho a pretensão de achar que não contaminarei o Davi com as minhas projeções e questões com o masculino. Mas, neste espaço, expresso minhas angústias e tento reafirmar e lembrar com a maior frequência possível que tenho importantes lições de casa para fazer, por mim, por meu filho e pelas pessoas que amo e me amam:
1)Aprender a reconhecer as qualidades do homeme e pedir a ajuda ao masculino.
2)Aprender a receber e ser nutrida por essa energia única
3)Me abrir para o novo e diferente
4)Aprender a ser passiva e aceitar ser comandada algumas vezes
5)Reconhecer e mostrar as minhas fragilidades
6)Compartilhar e dividir
7)Estabelecer um vínculo amoroso e sexual com o masculino nutridor e vivenciar uma relação madura e calcada na generosidade e tolerância.

“Nada fácil de entender” diria Renato Russo. “Você diz que seu pais não o entendem, mas você não entende seus pais. Você culpa seus pais por tudo, isso é absurdo, são crianças como você. O que você vai ser quando você crescer…”

Tags:

9 Respostas to “Nascido sob o signo do macho”

  1. Rui Motta Says:

    Uma das questões mais importantes em relação à educação dos filhos é conseguir estabelecer modelos bem definidos, padrões claros que contemplem as peculiaridades inatas de cada gênero. Sem conflitos nem preconceitos. Homens são realmente difíceis e pragmáticos, mas também são sinceros, diretos e francos, amorosos e provedores, responsáveis e servem sempre de âncora emocional segura. Não há porque ter medo de nós… Só não espere nos ver chorando na frente da televisão (quem sabe quando o time de futebol perder um campeonato…)

    • Carol Says:

      Rui,
      Sou de uma família cuja maioria é de mulheres. Em casa eram 7 para dois homens (meu pai e meu irmão). Estou aprendendo a conhecer melhor o masculino e tenho valorizado cada dia mais as suas qualidades. A troca somente nos enriquece e nos torna melhores.
      Bjs.

  2. Rui Tomás Says:

    Olá minha linda e querida amiga Carol…boa tarde !!!
    O que seria dos homens se não existissem as mulheres !!!
    Considero Deus o maior arquiteto do universo por faze-las tão belas e maravilhosamente amadas. Você é um exemplo vivo !

  3. andrea Says:

    isso precisa ser 1ª pagina do correio popular

    q responsabilidade

  4. Bernardo Says:

    ?????
    Não entendo, quando as mulheres tentam generalizar.
    Os homens são fáceis de entender! Se, quando criança, forem educados com naturalidade, sem fórmulas, sem tentativa de enquadrá-los em algum tipo de padrão, dando alguma proteção, carinho e principalmente, sendo exemplo. Eles crescerão confiantes e sem preconceitos, sem traumas ou medos. Deixarão aflorar o que trazem de bom em sua alma, vidas passadas ou sei lá o que?
    Carol, você é um exemplo de vida, sua alma é linda, como já afirmei antes, o David, será um grande Homem, livre de preconceitos, e com uma boa cabeça. Quando estiveres velhinha terás alegria do que plantaste e criaste com carinho e dedicação, disso eu tenho certeza.

    Ps. Descupa estou escrevendo rápido, não tive tempo de elaborar e organizar melhor minhas idéias a respeito de homens, não é um tema que me agrada muito.
    Estou me preparando para ir para Cabo Frio, aproveitar o feriadão pescando, vendo a lua que está linda, na compania do meu filhão o Leo, de bons amigos e pessoas simples.
    Algum dia te enviarei algumas crônicas que o Leo escreveu.

    Um grande beijo.

    • Carol Says:

      Olha, agradeço os elogios, mas, de verdade, não estou com essa bola toda não. Apenas me preocupo em ser uma pessoa melhor para o mundo e servir de exemplo para o meu filho. Agora, como disse no texto, o assunto é mesmo espinhoso. Minha idéia é diminuir a distância entre masculino e feminino, sem que cada parte perca suas características e estilo próprios. A filosofia oriental tem toda a razão e lógica: os gêneros são complementares. Espero que você tenha um final de semana maravilhoso com o seu filhote e amigos. Não conheço Cabo Frio, mas não tenho dúvidas de que é mais um paraíso em terra. Páscoa é tempo de renovação e de renascimento. Que seja também para vocês.
      Por favor me mande as crônicas de Leo. Será um prazer ler.
      Grande beijo

  5. Paulo Corrêa Neto Says:

    Carol
    É muito importante dar oportunidade para que os homens aprendam a cantar, dançar, tocar algum instrumento, fazer algum trabalho manual (com madeira,jardinagem,hortaliças, artesanato,pintura, mecânica de motores etc), abraçar, dar e receber massagens, olhar nos olhos das pessoas,olhar a lua, as estrelas, sentir a natureza e gostar de algum esporte ou até mesmo caminhar com regularidade, se for possível em trilhas de mata com muitas árvores e muito verde.
    Yoga também é muito importante.
    Abraços
    Paulo

    Abraços
    Paulo

  6. Paulo Barretto Says:

    Carolina,

    Leio sempre tudo que você escreve, fico sempre com vontade de escrever algo mas nunca o faço. Mas hoje relendo este seu artigo resolvi deixar aqui escrito minha adimiração por você como escritora, como mulher como uma pessoa que eu gostaria de conhecer mais de perto. Ano passado assisti ao filme que ganhou o Oscar de melhor filme estrangeiro: A Partida, o filme é excelente, chorei como criança quando terminou. Mostra como podemos julgar erroneamente uma pessoa a vida toda e mostra o verdadeiro amor entre familiares e aqueles que partiram ou mesmo que estão distantes de nós. Tenho certeza que com o Davi você vai ver que nós homens não somos tão complicados assim. Muitos de nós somos sensíveis SIM, choramos em final da novela ou quando assistimos a um bom filme ou com um bom livro. Temos medos comuns mas muitas vezes por causa da educação de nossos pais ou da sociedade a nossa volta somos colocados em situações que devemos tomar as rédeas da situação e porisso acabamos crescendo mesmo antes do tempo para assim mostrarmos ao mundo que somos o “macho”. Afinal deve ser o homem quem mata a barata, que deve trabalhar mais duro para prover para sua familia, que deve ir atras da mulher e conquistá-la e dependendo da educação que este filhote de macho teve ele terá uma visão machista da vida e é porisso que é necessário um balanço na sua educação, com pais amorosos entre si para que ele veja em casa este exemplo e possa levar com ele para o resto da vida a educação, respeito, virtudes, moral, amor, sensibilidade. No fundo no fundo temos os mesmos medos que vocês mulheres, mas aprendemos com a vida que devemos ser mais fortes mas a vida nos mostra que não existe um lado mais forte ou mais fraco, ambos estamos no mesmo barco ambos crescemos juntos, choramos juntos, lutamos juntos e devemos educar nossos filhos juntos para que a criança tenha a visão materna e paterna. Assim como eu quando criança me apaixonei por aquela menina linda e morria de medo de chegar nela e dizer isso, ele também passará pela mesma experiência, temos de estar presentes para ajudá-los aconselhando e protegendo, pois seja macho ou seja fêmea somos todos filhos de Deus sensíveis aprendendo nesta vida como ser melhores a cada dia. Que Ele esteja sempre do seu lado protegendo vocês dois e tudo dará certo pois você que um dia foi aquela menina linda que me botava medo só de chegar perto se fez uma mulher mais linda e mais especial do que eu jamais podia imaginar. Beijo em vocês dois e boa sorte.

    • Carol Says:

      Paulo,
      Você sempre me surpreende. Seu texto mostra bem como sua alma é humana e compassiva. Acho, de verdade, que gozo de uma consideração sua que não sei se mereço. Quando somos elogiados, tendemos a negar esses elogios, com medo de não responder à altura da expectativa de quem os fez. Então, em um exercício pessoal, aceito e agradeço muito suas palavras.
      Sei que o nosso “reencontro” virtual há alguns anos foi um pouco tumultuado. Você vivendo sua história, com sonhos, decepções, mudanças e ansiedades e eu, do meu lado, também vivendo tudo isso na minha história, com outro enredo. Houve um choque de realidades e expectativas.
      E, apesar disso, espero sempre ter deixado claro para você que também gostaria de um dia reencontrá-lo para conversármos pessoalmente. Apenas que a vida que levo hoje, criando um filho sozinha, me deixa poucas oportunidades de sair da cidade. Por isso, renovo o convite: quando quiser e puder vir a Campinas, me ligue e daremos um jeito de nos encontrármos. Será um encontro especial. Acho que nos devemos isso.
      Acredito que as coisas vão acontecer quando tiverem que acontecer…
      Também te desejo muitas bençãos, sorte, prosperidade e amor.
      Beijos,
      Carol.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: