Construindo o viver

 

Eu nunca fui muito de acreditar e reconhecer a força inspiradora e realizadora de ações ritualísticas. E chamo de ações ritualísticas quase tudo o que fazemos na vida, até mesmo escovar os dentes, desde que o ato esteja revestido dessas energias que impulsionam a gente para a concretização. Escrever, por exemplo, é extremamente ritualístico. Todo jornalista ou escritor cumpre um ritual antes, durante e depois de buscar organizar e expressar suas idéias. E acredite, a coisa tem uma força que muitas vezes é subestimada pelo nosso pensamento lógico e cortical.

Todo esse preâmbulo aí em cima é para falar sobre a força de concretização de um planejamento, seja ele, pessoal, familiar, econômico, de lazer ou profissional. O simples ato de colocar no papel, em uma ordem coerente com os seus desejos, já aciona energias e potenciais que caminham para a sua concretização. Tive provas indiscutíveis desse poder.

No início, dá uma preguiça… Você fica olhando aquele papel em branco (o futuro) com um misto de desprezo e descrença. Ai, será que vale a pena tanto trabalho??? Mas é preciso buscar forças, não sei de onde e começar pelo básico: você consegue se descrever de forma objetiva? Tipo aquelas perguntas de entrevista de emprego, liste seu defeitos e suas qualidades? E sua missão na vida, qual é? A questão aqui é escrever o que sente e percebe com sinceramente, uma vez que não há cobranças externas, só internas..

Só estas perguntas já dão um nó na cabeça da gente. O desafio estava lançado e a minha simples determinação em tentar delimitar um perfil pessoal despertou um envolvimento e uma consciência, que me surpreenderam e me mostraram a força do ritual. E olhe que demorou meses para que eu concluísse o trabalho.

Pois bem, passei pelo reconhecimento das minhas reais capacidades e condições atuais de vida, depois, na esfera espiritual o que queria da vida, como definiria a minha missão nessa existência (essa questão me tomou dias) e na sequência parti então para enumerar não os meus defeitos mas sim em quê gostaria de melhorar. Passada esta primeira fase, entrei no segundo ‘round’, tão difícil quanto o primeiro.

O desafio agora era listar metas, desejos e sonhos a serem realizados e atingidos em cada âmbito da minha vida (pessoal, lazer, saúde, profissional, espiritual, intelectual, social e financeiro) em prazos pré-determinados, tipo daqui a um ano, daqui a 5 e daqui a 10 anos.

Rapaz! Não fui econômica. Listei de tudo, sonhos, viagens, bens materiais, graças espirituais, fui mais e pedi um amor e até mesmo defini como objetivo a ser alcançado a melhora das minhas relações familiares.

Veja o que é energia potencial: daquilo que enumerei a ser alcançado em um ano, em oito meses já havia conseguido vencer. Os que listei para o prazo de cinco anos, acredite se quiser, já estou bem adiantada e já cumpri mais de 50% deles, e para daqui há dez anos, bem, resolvi esperar um pouco porque deu até medo.

Quando parei para tentar entender o que aconteceu, percebi que realmente e ritualisticamente construí o meu futuro. É claro que a vida não está totalmente sob nosso controle e muitas coisas podem acontecer no caminho entre o que você quer e o que você pode, mas é imprescindível enxergar na frente para se poder caminhar até lá. Se atalhos ocorrerão, não podemos prever, apenas viver cada um.

Porém, é impregnante a força da palavra escrita e do ritual de se sentar, pegar uma caneta ou lápis e descrever, em um papel em branco (como em uma tela) o que queremos. Pincelada por pincelada ilustramos e assumimos os nossos desejos e sonhos e assim, conseguimos ver de forma mais clara um caminho a ser trilhado. Talvez tenha sido este tipo de idéia que o best-seller norte-americano “O Segredo”, que superou a marca dos 4 milhões de exemplares vendidos em apenas dois meses, defenda no fim das contas. Nada mágico, nada absurdo, nada ilógico e nem milagroso. Apenas a nossa capacidade de nos responsabilizarmos por toda a decisão que tomamos diariamente.

Há alguns anos desenhei e pintei uma árvore, sem perceber que era a minha própria árvore da vida. A imagem, apenas metade pintada, a outra ficou em preto e branco, revelava uma estagnação real de concretização. Somente depois de um período de dois anos consegui terminá-la. É nítida a divisão de tempo nas cores do desenho. Ele me lembra o quanto coisas assim nos trazem revelações sobre nós mesmos.

Estou feliz com o que criei e consegui concretizar. A cada período, outras metas, objetivos e sonhos substituem àqueles e novos desafios se apresentam na minha vida. Se você deseja e quer chegar a algum lugar, aconselho que pare e trace um desenho e seja o autor do sua própria obra de arte: o destino.

Tags:

8 Respostas to “Construindo o viver”

  1. aparecida das gracas moreira Says:

    gostaria de saber o que realmente é isto?…pois já existe tantos secredo,nesse caminho o alto conhecimento…um abraco cida

    • Carol Says:

      Querida Cida,
      Acho mesmo que a resposta para O Segredo é nos responsabilizarmos integralmente pelos rumos de nossas vidas. Mesmo quando deixamos tudo à deriva, estamos escolhendo e não podemos dizer que a vida quis assim…
      Grande beijo

  2. Bocatto Says:

    Como analísta transacional e professando essa teoria, não somente dos rituais, presente nos estudos sobre Administração do Tempo, assim como o planejamento de vida, o qual nos mantem vivos e felizes; digo; parabéns pelo belo artigo.

  3. andrea Says:

    vc nunca ouviu falar em carta ao universo?

    todo o ano desde 1998 faço uma carta ao universo agradecendo e pedindo humildimente outras q preciso melhorar.
    funciona.

    dizem q as informaçoes estao no ar q respiramos , e so acessa-las.
    o q move as coisas é o tamanho da intençao colocada nela.

    bj

    • Carol Says:

      Pois é. A ideia é a mesma, revestir de energia consciente o que queremos e dar os passos necesários para se chegar lá…

  4. joel martins Says:

    Carol,achei ótimo sua visao quanto a vida e quanto somos responsaveis por ela, seria ótimo que todos acreditasem que á vida é para ser levado á sério, e que ela é unica, nao outra vida como “esta” por isso acredito que devemos ser responsaveis, organizados, determinados justamente por que nossas fraquesas corrompen nossos obejetivos ate sonhos.
    A fé cega, é a busca incessante pelo aquilo que acreditamos e nao vemos, é como ter certeza daquilo que nem sabemos bem ao certo, a vida é assim é uma forca que nos leva e nao temos muita certa de tudo, ao menos que vc se materialize ao menos visuali-se, assim fica real pelo aquilo que nem sempre é real para nós.

    abracos

    J.Martins

    • Carol Says:

      Valeu Joel! Logo vai chegar o niver da Maria Clara. Já comprei uma lembrancinha para ela. Depois te ligo e a gente combina. Beijos,
      Ana

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: